Pequenas lojas de calçados ameaçadas

Pequenas lojas de calçados ameaçadas

Nos últimos anos, muitos comerciantes independentes foram simplesmente cortadas pelos grandes fabricantes de calçados. Em alguns casos, pequenas empresas são obrigadas a comprar antecipadamente US$ 20 mil ou mais em sapatos. O que pode significar pelo menos 500 pares de sapatos, um número excessivo para uma loja pequena estocar e vender em um ano, além das outras marcas.
Algumas lojas independentes foram obrigadas a abandonar o ramo pela concorrência das grandes lojas e pelas compras online. Agora, com a obrigação de comprar lotes mínimos, as lojas sofrem uma pressão ainda maior. A Glick’s Shoe Store de Lewistown, Pensilvânia, por exemplo, fechou as portas em maio, depois de estar no comércio há 90 anos. Nicole Swanger, a gerente, atribui o fechamento da loja à perda de sua conta com a Nike, a marca mais vendida.
As grandes indústrias de sapatos também orientam cada vez mais seus clientes a procurarem os respectivos sites. O mercado de calçados americano valia US$ 72 bilhões nos doze meses encerrados em março, e cerca de 30% destas vendas foram feitas online. As vendas de sapatos subiram 4% em relação aos 12 meses anteriores. Mas as vendas diretas ao consumidor das próprias lojas da marca, sites e catálogos cresceram 12%.Nos últimos anos, muitos comerciantes independentes foram simplesmente cortadas pelos grandes fabricantes de calçados. Em alguns casos, pequenas empresas são obrigadas a comprar antecipadamente US$ 20 mil ou mais em sapatos. O que pode significar pelo menos 500 pares de sapatos, um número excessivo para uma loja pequena estocar e vender em um ano, além das outras marcas.
Algumas lojas independentes foram obrigadas a abandonar o ramo pela concorrência das grandes lojas e pelas compras online. Agora, com a obrigação de comprar lotes mínimos, as lojas sofrem uma pressão ainda maior. A Glick’s Shoe Store de Lewistown, Pensilvânia, por exemplo, fechou as portas em maio, depois de estar no comércio há 90 anos. Nicole Swanger, a gerente, atribui o fechamento da loja à perda de sua conta com a Nike, a marca mais vendida.
As grandes indústrias de sapatos também orientam cada vez mais seus clientes a procurarem os respectivos sites. O mercado de calçados americano valia US$ 72 bilhões nos doze meses encerrados em março, e cerca de 30% destas vendas foram feitas online. As vendas de sapatos subiram 4% em relação aos 12 meses anteriores. Mas as vendas diretas ao consumidor das próprias lojas da marca, sites e catálogos cresceram 12%.

18 de Julho de 2019

Mais Notícias

Conheça nossos

Associados

INDUSTRIA E COMÉRCIO DE COUROS DOWIDI LTDA
CBC COUROS E ACABAMENTO LTDA
COUROS BOM RETIRO LTDA
BCM - INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE COUROS LTDA
DURLICOUROS IND E COM DE COUROS EXP IMP LTDA
JBS S/A